Mil escrituras são entregues aos moradores dos becos de Ceilândia

O governador Rodrigo Rollemberg passou o ultimo sábado em Ceilândia. O dia começou cedo com a entrega de mil escrituras a moradores de becos. A cerimônia de entrega foi na Praça do Trabalhador, em frente à Administração Regional da cidade.

Com os documentos repassados aos cidadãos hoje, somam-se mais de 4.325 pessoas atendidas, em Ceilândia, pela regularização fundiária, uma das frentes de atuação do programa Habita Brasília. Em todo o Distrito Federal, já são 26.925 títulos entregues à população.

A medida representa o esforço de anos por uma moradia digna, como destacou o governador de Brasília, Rodrigo Rollemberg. “Sei o que significa para as famílias ter as escrituras. É tranquilidade, é segurança jurídica para as pessoas”, afirmou.

Essa é a sensação do aposentado Raimundo Fortunato Coutinho, 68 anos. Morador da QNP 20, ele foi um dos beneficiados. “Dá mais tranquilidade, porque a gente economizou muito, comprou a casa e não tinha certeza que ela era nossa. Agora, ela é nossa”, festejou Coutinho. Ele vive em Ceilândia desde 1970.

Titularidade do imóvel

Manter a titularidade do imóvel é imprescindível, como destaca o diretor-presidente da Companhia de Desenvolvimento Habitacional do Distrito Federal (Codhab), Gilson Paranhos. “Não vendam seus imóveis. Chegam 50 mil pessoas a Brasília por ano. Por isso, escritura aqui é um tesouro, como um petróleo”, comparou.

Investir na melhoria da qualidade de vida da comunidade da região administrativa é prioridade para o governo, avalia o secretário de Gestão do Território e Habitação, Thiago de Andrade. “Ceilândia está nas nossas mentes. Ela está no núcleo, no centro da capital metropolitana Brasília”, disse.

Mais conforto para a prática de esportes em Ceilândia Norte

Após a entrega das escrituras o governador seguiu para inaugurar  a cobertura do espaço Academia na Rua, na QNM 10, Área Especial, em Ceilândia Norte. O local funciona há 13 anos com aparelhos de ginástica construídos pelos próprios moradores.

A obra começou em outubro do ano passado, ao custo de R$ 133 mil. Os recursos são provenientes de emenda parlamentar da deputada distrital Luzia de Paula (PSB), que destinou 90% dos recursos de seu gabinete para obras em Ceilândia.

 

Via de acesso do INCRA 9 à BR-070 receberá iluminação

Luzia de Paula, Rodrigo Rollemberg, Augusto e moradores do Incra 9

O governador e a deputada Luzia de Paula almoçaram no Inra 9, com moradores da região, na chácara do líder da região, Augusto, que reivindicou mais iluminação para a região.

O governador  anunciou  que a via de acesso do Incra 9 à BR-070 receberá iluminação.

A obra está orçada em R$ 330 mil e aguarda a chegada do material, como cabos, caixas de energia, entre outros. Passada essa etapa, serão cerca de 45 dias para a entrega da intervenção. Ela seguirá os mesmos padrões da rede elétrica da área urbana.

O ganho em qualidade de vida trazido pela medida é significativo, afirma Rodrigo Rollemberg. “A iluminação contribui para melhorar a segurança de quem circula por aqui”, declarou.

A Companhia Energética de Brasília (CEB) fornecerá equipe e maquinário para a execução da obra.

Governador ouve demandas de moradores do Pôr do Sol

O encerramento do sábado em Ceilândia foi no Pôr-do-Sol, na casa de D. Chica, a “comandante” da região, na Quadra 303.  A população apresentou ao chefe de governo e a integrantes da área de infraestrutura do Executivo,reivindicações sobre educação, abastecimento de água e melhoria habitacional na região. Cerca de 100 pessoas acompanharam a atividade. Lideranças de toda a Ceilândia compareceram ao debate.

O diálogo aberto com a população é fundamental para a solução dos problemas da comunidade, de acordo com Rollemberg. “Nós temos um compromisso muito grande com o Pôr do Sol e o que a gente puder fazer para melhorar a vida de vocês, nós vamos fazer”, garantiu.

Mais de 100 pessoas, incluindo lideranças de toda Ceilândia estiveram na Chácara 303 com o governador e a deputada Luzia de Paula

As demandas apresentadas pelos moradores serão avaliadas pelos gestores públicos. “Veremos o que pode ser feito imediatamente e o que vai exigir um pouco mais de tempo para resolvermos”, explicou o governador.