Colaboração: Dra. Fabíola Araújo de Almeida Caldas

Muitas pessoas não sabem identificar o relacionamento abusivo, mesmo que esse tema tenha ganhado tanta repercussão social.Você sabia que a cada 5 mulheres, 3 já sofreram ou sofrem em relacionamentos abusivos?Um número alto, não é?Mas o que vem a ser um relacionamento abusivo?O relacionamento abusivo é quando uma pessoa da relação exerce poder excessivo sobre o outro, afetando não só o físico, mas o mental e emocional da vítima. É um relacionamento onde há intimidação, manipulação, abuso de poder, perda da liberdade, humilhação e violência psicológica.O relacionamento com um abusador geralmente começa com muito carinho e atenção. O abusador tenta de todas as formas envolver a vítima, até que começam a aparecer os primeiros sinais de abuso. Quando estes aparecem, a vítima já está tão apaixonada, envolvida, tão dependente emocionalmente ou financeiramente que é difícil para ela perceber, ou até mesmo sair do relacionamento. Muitas vezes o abuso vem disfarçado como forma de cuidado, portanto pode passar desapercebido.Existem sinais comuns que demonstram um relacionamento abusivo, e é muito importante que a vítima consiga distinguir o quanto antes.Um dos primeiros sinais é o ciúme excessivo. O abusador começa a controlar as roupas de sua companheira, controlar onde vai, com quem ela fala, tudo isso alegando que está cuidando do que é dele, ou que confia na parceira, mas não nas outras pessoas.O controle excessivo é outro sinal muito típico nesses relacionamentos.  O abusador vai controlando a vida da vítima em todos os aspectos: trabalho, estudo, visita a familiares. Em um determinado ponto o companheiro não permite que vítima trabalhe e tenha sua vida financeira própria, alega que não é necessário, que ele tem condições de sustentá-la, mas o que ele quer na verdade é deixar a vítima totalmente dependente financeiramente dele. O controle se torna tão excessivo que a mulher vai deixando de sair com amigos, visitar familiares, e daí vai se anulando, vai se deixando ser controlada, até porque ela não quer brigar para fazer com que essa relação dê certo.A estratégia do abusador é justamente isolar o outro do mundo, fazer com que a pessoa perca sua independência, autonomia. É fragilizar a vítima, para que ele tenha cada vez mais controle.Outro sinal é culpar a vítima por tudo: pelas brigas, pelo excesso de raiva vindo da parte dele. Frases muito comuns são: Você me provoca, fica usando essas roupas. Fica saindo com esses seus amigos, eles não prestam. E a mulher vai internalizando essas falas, aceitando essa culpa sobre ela.Na questão sexual também existe abuso, pois a vítima, por muitas vezes, é obrigada a atender às necessidades e desejos do seu parceiro, mesmo sem vontade. O sexo tem que ser prazeroso para ambos, mas mesmo assim a mulher cede com medo de que se não ceder ele irá procurar satisfação sexual na rua. E isso é o que se ouve desde os tempos das vovós, e então, a mulher vai cedendo a esse tipo de abuso pelo medo de ser traída. Esse abusador só está mostrando que não respeita sua companheira, e que a vê simplesmente como um objeto.O relacionamento abusivo é muito perigoso, porque além dos fatores acima citados, que acabam com a independência, autoestima e com o emocional da mulher, muitos dessas relações acabam em ameaças e posteriormente em agressões físicas. Primeiramente o abusador começa quebrando objetos, como celular, e outras coisas dentro de casa, mas com essas atitudes ele está dando um aviso de que a vontade dele é de quebrar o rosto da vítima, é de bater nela. Porém, em certo momento, ocorrem mesmo as agressões físicas, e infelizmente, em muitos casos, o feminicídio.E como sair desse relacionamento?Após ter identificado que está em um relacionamento abusivo, o primeiro passo é procurar ajuda, apoio emocional, com pessoas de confiança, como amigos e familiares. É muito difícil sair sozinha de um relacionamento abusivo, por isso é tão importante encontrar pessoas para ajudar a superar e a dar força.É necessário que a vítima deixe toda a culpa para trás e comece a pensar que o problema não era com ela, mas sim com o abusador.Outro ponto importante é resgatar o seu eu, relembrar que possui qualidades, resgatar a vitalidade e aquilo que traz felicidade. Bom lembrar também que é capaz, e que existem pessoas em que pode confiar e que é especial para elas.Uma ajuda essencial nesse momento é a Psicoterapia, ela é fundamental nesse processo, pois irá ajudar a encontrar o melhor caminho para lidar com a dependência emocional e com todos os traumas que essas relações deixam. Na terapia um dos focos é que a vítima irá buscar melhorar sua autoestima. Além disso, irá fortalecer o emocional e passar a se conhecer melhor. Dessa maneira, toma o controle dos sentimentos e pode mudar ou acabar com esse tipo de relacionamento.Sempre bom lembrar que, se é amor: ele não controla, humilha, constrange, manipula, debocha, chantageia, ameaça, agride, prende, menospreza, diminui, engana, maltrata. Isso é um relacionamento abusivo!Como ajudar alguém que está em um relacionamento abusivo?Primeiramente não ignore o problema, dê apoio, não julgue, procure conversar de forma sempre positiva. Ajude a reconhecer que a culpa não é dela e que com força, coragem e apoio a mulher conseguirá sair desse relacionamento.Existem também serviços de denúncia como:  A Central de Atendimento à Mulher (180), onde existe uma escuta qualificada a essa vítima. O serviço registra e encaminha denúncias de violência contra a mulher aos órgãos competentes.Em caso de urgência, em que há agressão física, ligue para a Policia Militar (190).E se você está em um relacionamento abusivo, não hesite em buscar ajuda. Todas merecemos ser amadas, cuidadas. Em uma relação saudável, há amor, respeito, carinho, companheirismo. Não se acostume com o que não te faz feliz!.