Fotos: Ramailton Barboza de OliveiraVocê entra na Estação 112 Sul, desce uma pequena rampa, escada ou elevador e pensa que vai entrar na estação propriamente dita. Mas, você entra em uma ilha mágica, a Ilha da Solidariedade, do Amor ao próximo, do Carinho, do Acolhimento e principalmente, da Inclusão.

Então você se depara com a galeria da Estação 112. A entrada da Estação Cidadania

Na Estação 112 funciona uma pequena ponta da Secretaria de Estado Trabalho, Desenvolvimento Social, Mulheres, Igualdade Racial e Direitos Humanos do Distrito Federal. Subsecretaria de Políticasde Direitos Humanos. A Coordenação de Pessoas com Deficiência. A Estação Cidadania.

O espaço é pequeno para o grande e bonito trabalho realizado por pessoas que entendem o que é ter problemas com locomoção, de comunicação, de visão e inúmeros outros que nós “pessoas sem deficiência”, estamos longe de mensurar.

Por trás dessa estruturara está o Coordenador da PromoDEF Paulo Beck, o anjo protetor de seus liderados e daqueles que chegam desesperançados em busca do socorro tantas vezes negado lá fora, nesse mundo cada vez mais endurecido, discriminador e empedernido, onde cada um se preocupa apenas emcrescer, sem se importar com quem vai atropelar, pisar ou matar, física e psicologicamente.

Carlos é o planejador do espaço. Alma nobre de artista

Enfim, a ESTAÇÃO CIDADANIA representa um verdadeiro oásis de construção de um mundo que desejamos.

Estação Cidadania

Dentro do processo de reorganização e qualificação das políticas públicas de atenção às pessoas com deficiência e às pessoas idosas, identificamos a Estação do Metrô da Quadra 112/212 Sul como o ambiente adequado/adaptado para o recebimento do público alvo.

 

Estrutura com acessibilidade dotada de elevadores, banheiros adaptados, piso tátil e rampas de acesso, intérpretes de Libras, transcrições em Braille, dentre outras dimensões de acessibilidade;

* Salas com ar condicionado e dimensão apropriada para receber cadeirantes e outras pessoas com mobilidade reduzida com a segurança e o conforto exigidos;

* Ligação direta com os principais modais de transporte coletivo do Distrito Federal.

            A construção do ambiente/espaço de acolhimento tem como missão promover a cidadania da pessoa com deficiência e da pessoa idosa, assegurando atendimento diferenciado/qualificado, além de ser reconhecida/identificada pelos órgãos governamentais, instituições representativas do segmento e sociedade de uma forma geral como espaço de exercício da cidadania para a pessoa idosa e para a pessoa com deficiência, estribada em valores e princípios como “ética; Igualdade; Respeito; Justiça; Autonomia; Acolhimento”.

Ressalta-se que a possibilidade da oferta de diversos serviços e atendimentos realizados num mesmo local  tem por finalidade, por um lado, assegurar o atendimento e a efetividade dos serviços públicos prestados/devidos a esses contribuintes, bem como evitar a sua revitimização justamente quando estão na busca da concretização de seus direitos, e, por outro, tornar-se referência para viabilizar uma articulação permanente entre os órgãos governamentais e as instituições da sociedade civil concretizando uma verdadeira Rede de Cidadania.

Outro desafio relevante assumido por esta gestão na construção da concepção do espaço, foi trazer para o interior da administração pública o conhecimento genuíno e a vivência de profissionais do próprio movimento social de pessoas com deficiência, atendendo o histórico lema internacionalmente adotado: Nada Sobre Nós, Sem Nós!

Por fim, a concretização da Estação Cidadania configura o estabelecimento de espaço diferenciado para a construção de um diálogo permanente sobre os DIREITOS HUMANOS e a inclusão social das pessoas idosas e das pessoas com deficiência, trazendo as sensíveis questões sociais relacionadas com a deficiência e o envelhecimento para o centro das preocupações das políticas públicas e da sociedade, como parte integrante das estratégias relevantes de desenvolvimento social sustentável.