Esta é a mensagem encontrada ao se procurar por testagem de Coronavírus no DF. Muito bonito e perfeito. Em tese, de acordo com a Secretaria de Saúde, basta o cidadão  procurar uma USB ou um posto de saúde, com sintomas, e ele será recebido, acolhido e entrará, para atendimento. Em razão da alta disseminação do novo coronavírus (Sars-CoV-2) no Distrito Federal, intensificamos a testagem em pessoas sintomáticas para detectar a doença através dos serviços da Atenção Primária, que é a porta de entrada para o atendimento na rede pública. Nesse sentido, ampliamos o serviço que conta agora com 172 Unidades Básicas de Saúde (UBS’s) que realizam acolhimento e atendimento para os casos suspeitos de Covid-19, bem como testes rápidos e testes “swab”, de acordo com o perfil de cada paciente (vide site: http://www.saude.df.gov.br/todas-as-ubss-do-df-passam-a-fazer-testagem-para-a-covid-19/). As UBS’s estão distribuídas nas 07 Regiões de Saúde do Distrito Federal. Os exames de pacientes que apresentarem sintomas são coletados nas próprias Unidades. Além disso, é realizada a estratégia fast-track ou duplo fluxo, em que os pacientes com quadros respiratórios entram em fluxos separados. Esta Secretaria Adjunta de Assistência à Saúde informa sobre o plano de contingência do novo coronavírus atualizado no endereço eletrônico: http://www.saude.df.gov.br/wp-conteudo/uploads/2020/02/Plano-de-Continge%CC%82ncia-V.6..pdf, acrescentando que o mesmo será modificado conforme a evolução da doença no Distrito Federal. Reforçamos que em casos suspeitos, o GDF disponibiliza equipes volantes para fazer o exame aonde a pessoa estiver. Se apresentar tosse, febre e/ou dificuldade para respirar sugerimos ligar para os números: 190, 193 ou 199, para mais orientações. Esclarecemos que o Centro de Operações de Emergências em Saúde Pública – COE-COVID-19-DF e o Grupo Executivo para Monitoramento e Desenvolvimento de Ações de Prevenção e Mitigação ao COVID 19 permanecem de plantão para que não haja desassistência à população. Atenciosamente, Secretaria Adjunta de Assistência à Saúde, Secretaria de Estado de Saúde do Distrito Federal.ias Unidades. Além disso, é realizada a estratégia fast-track ou duplo fluxo, em que os pacientes com quadros respiratórios entram em fluxos separados. Esta Secretaria Adjunta de Assistência à Saúde informa sobre o plano de contingência do novo coronavírus atualizado no endereço eletrônico: http://www.saude.df.gov.br/wp-conteudo/uploads/2020/02/Plano-de-Continge%CC%82ncia-V.6..pdf, acrescentando que o mesmo será modificado conforme a evolução da doença no Distrito Federal. Reforçamos que em casos suspeitos, o GDF disponibiliza equipes volantes para fazer o exame aonde a pessoa estiver. Se apresentar tosse, febre e/ou dificuldade para respirar sugerimos ligar para os números: 190, 193 ou 199, para mais orientações. Esclarecemos que o Centro de Operações de Emergências em Saúde Pública – COE-COVID-19-DF e o Grupo Executivo para Monitoramento e Desenvolvimento de Ações de Prevenção e Mitigação ao COVID 19 permanecem de plantão para que não haja desassistência à população. Atenciosamente, Secretaria Adjunta de Assistência à Saúde, Secretaria de Estado de Saúde do Distrito Federal.

Muito lindo e perfeito, mas somente no papel. Realidade nua e crua: o GDF, através de seus postos, não acolhe, não recebe e não atende o cidadão. Em Ceilândia, nesta segunda feira, tivemos um casal em situação de risco, que procurou “seu” posto de saúde, o Posto 03 da Ceilândia Sul.

Fila com mais ou menos 40 pessoas, aglomeradas, jogadas em bancos e muretas

Chegando ao posto às 7 horas, horário que foi informado para chegar, se deparou com uma fila enorme. O casal, confiando no texto acima, entrou na fila. Erro: não deveria, pois a mulher tem 63 anos e o marido  68 anos. Ás 10:30 a atendente da portaria informou que não tinha médico, pois o medico estava atendendo pacientes marcados e só poderia prestar os atendimentos do COVID19 à partirdas14 horas. As pessoas, umas 40, enfileirados e aglomerados, jogados nos bancos ou na muretinha, continuaram esperando.  O posto fechou ao meio dia e reabriu as 14. A mesma atendente, grosseira e mal educada, começou a fazer ali mesmo uma espécie de “triagem” pra determinar quem entraria ou não no posto. A senhora, de 63 anos pediu para entrar pois já estava exausta, com febre e muitas dores de cabeça e pelo corpo. Outra atendente, em um computador, sem sequer olhar na cara da “paciente”, apontou a fila. “Espera na fila”. A mulher explicou a idade, os sintomas e que já estava convivendo com uma pessoa positivada. A atendente respondeu: “todos ficam esperando na fila, se der o medico atende todos, se não tem que voltar amanhã”. A senhora voltou para a fila, Esperou até as 16 horas. Ninguém foi atendido neste tempo. A atendente da portaria, escoltada pelo segurança explicou: “não tem teste, quem quiser passar pelo médico continua na fila, mas só pra ver o doutor. Não tem testes e vamos fechar as 5 (17) horas”. A mulher saiu chorando e foi embora, pois no lugar em que estava na fila, dificilmente seria atendida.

NESTA HISTÓRIA, ONDE ESTÁ ESTA PARTE?  Nesse sentido, ampliamos o serviço que conta agora com 172 Unidades Básicas de Saúde (UBS’s) que realizam acolhimento e atendimento para os casos suspeitos de Covid-19, bem como testes rápidos e testes “swab”, de acordo com o perfil de cada paciente. OU ESTA: As UBS’s estão distribuídas nas 07 Regiões de Saúde do Distrito Federal. Os exames de pacientes que apresentarem sintomas são coletados nas próprias Unidades. Além disso, é realizada a estratégia fast-track ou duplo fluxo, em que os pacientes com quadros respiratórios entram em fluxos separados.

TAMBÉM GOSTEI MUITO DESTA PARTE: Reforçamos que em casos suspeitos, o GDF disponibiliza equipes volantes para fazer o exame aonde a pessoa estiver. Se apresentar tosse, febre e/ou dificuldade para respirar sugerimos ligar para os números: 190, 193 ou 199, para mais orientações. Esclarecemos que o Centro de Operações de Emergências em Saúde Pública – COE-COVID-19-DF e o Grupo Executivo para Monitoramento e Desenvolvimento de Ações de Prevenção e Mitigação ao COVID 19 permanecem de plantão para que não haja desassistência à população. Atenciosamente, Secretaria Adjunta de Assistência à Saúde, Secretaria de Estado de Saúde do Distrito Federal. Esclarecemos que o Centro de Operações de Emergências em Saúde Pública – COE-COVID-19-DF e o Grupo Executivo para Monitoramento e Desenvolvimento de Ações de Prevenção e Mitigação ao COVID 19 permanecem de plantão para que não haja desassistência à população.

Pena que é só no papel. Na realidade o Centro de Saúde 03 está sujo, sem álcool para desinfecção e nem sabão nos banheiros para lavar as mãos tem. No local da saboneteira, somente um buraco.

 Onde estão os médicos, os enfermeiros e técnicos que foram contratados e preparados para lidar com o COVID19? Onde as pessoas doentes vão encontrar acolhimento e cuidado, tão necessário nestes momentos de dor? FICA A PERGUNTA: o GDF está mentindo com seu programa maravilhoso ou as pessoas contratadas para acolher, receber e tratar pensam que estão lidando com animais?